CANE CORSO



A origem do Corso italiano é datada ainda antes da Roma antiga. Embora não haja um consenso, primam pela origem antiga dos molossos italianos, um descendente direto dos “canis pugnax” romano. Ou seja, estamos lidando com uma raça de pelo menos 2000 anos de existência. Uma hipótese bem aceita da origem da raça entre os entusiastas e estudiosos aponta para o Épiro, antiga região de dominação grega, que atualmente é atualmente Macedônia. Nesta região os romanos puderam observar o uso militar dos cães e os assimilaram em sua cultura, assim como muitas outras práticas e tradições dos povos que conquistavam. Desde o século XII, há relatos do uso da raça durante batalhas militares, fazendo-os protagonistas e testemunhas dos momentos de ascensão e declínio daquele povo.

Cabe destacar que o Cane Corso acompanhou a história italiana para além do aspecto militar. Devido ao cenário complicado vivido pelos homens comuns da época, a adoção e sucesso destes cães estava altamente atrelada, também, a funções de natureza econômica – principalmente nas zonas rurais do sul da Itália – destacando sua grande capacidade na caça. Nada que não esteja alinhado a própria origem de seu nome.
Uma linha atribui Corso ao grego (Krotòs) derivando na palavra Cohors que significa “protetor, guardião da fazenda”. Outros estudiosos da raça apontam uma origem na palavra Corsiero que significa “cavalo medieval”. De todo modo, a origem do termo remete a boas características da raça: confiança e porte.

Por anos os Corsos correram risco de se tornarem extintos, mas graças aos seus amantes em todo o mundo esse número vem crescendo gradativamente. Hoje é uma raça bem adaptada aos mais diferentes climas e inserida em todo planeta. Aqui no Brasil somos pioneiros e nos tornamos referência na qualidade da linhagem, trabalho que é constantemente reconhecido e premiado. Nosso respeito e admiração pela história da raça é o que nos motiva a construir o conceito de qualidade que os Corsos merecem!

Embora tenha porte, força e natureza territorialista, os Corsos são extremamente fiéis, amorosos e dóceis com as pessoas de seu convívio, inclusive crianças, já que é um animal bastante confiável e equilibrado no convívio com as pessoas. O Cane Corso é um cão desconfiado com estranhos e por isso é muito importante socializar este animal desde filhote.  Para quem desconhece a história, estes cães carregarem em seu DNA uma personalidade forte e imponente. Hoje representa uma das raças caninas mais eficientes nos trabalhos de guarda e proteção.

Cabe destacar a inteligência e confiança destes cães que apresentam uma alta capacidade de aprendizado, tornando o seu processo de adestramento rápido e fácil. É importante frisar que devido a sua alta energia, esses animais precisam de espaço para correr e se exercitar.

Engana-se quem pense que os Cane Corsos são cães de temperamento agressivo. Muitos dos cães criados na Gran bel Cane são adquiridos para viver em casas que possuem crianças pequenas.  A interação destes cães com os pequenos é algo de se admirar. O perfil amigo do Corsos é perfeito para famílias, sendo um excelente pet de companhia, capaz de reconhecer visitas e reproduzir esse comportamento amigável com outras pessoas.

Entretanto, os Corsos são poderosos e eficientes guardiões do lar. Essa junção entre o companheirismo e a guarda é característica mais marcante da raça. Fato esse que os donos devem respeitar e nunca estimular comportamentos agressivos que acabam formando cães com alto grau estresse e construindo um estigma desnecessário para a raça!

Como são cães com muita energia, precisam de muito espaço pra se exercitar. Por isso é indicado um quintal grande ou um terreno espaçoso onde possa gastar sua energia. De toda forma, é um animal que demanda do seu dono caminhadas todos os dias, para que fique saudável física e psicologicamente. Não é recomendado para apartamentos ou locais muito pequenos. Sua pelagem é curta, de fácil manutenção, não demandando tosas.

Para o futuro dono de um Cane Corso, ter conhecimento sobre algumas dicas de cuidados com a raça são importantes. Como é comum a todos os cães de grande porte, os Corsos apresentam alguns problemas característicos à raça que demandam prevenção desde filhotes:

O primeiro é a displasia coxo-femural e de cotovelo, e por isso a procedência do canil é fundamental nesse sentido. Procure atestar que os pais do filhote foram examinados e aprovados pelas radiografias da região. Importante para o proprietário, igualmente, realizar esses exames em seu Corso a partir do primeiro ano de vida do animal.

O segundo é o Entrópio, que é um problema de correção cirúrgica detectável a partir do terceiro mês de vida do cão que consiste no aparecimento de pele cobrindo a retina do animal. Esse problema traz um grande incômodo aos Corsos, deixando-os com os olhos irritados, vermelhos e lacrimejamento excessivo.

Por fim, um dos problemas que demandam prevenção nas fêmeas é a hiperplasia vaginal que demanda cuidados nos períodos antes, durante e após o cio. Por ser um problema comum nos animais de grande porte, o acompanhamento veterinário preventivo deve ser constante.